Sindusmad encerra atividades de 2023 com assembleia geral

Publicado em: 13 de Dezembro de 2023
Foto Por: Andressa
Fonte: Sindusmad

Com a participação expressiva dos empresários associados e representantes de órgãos públicos e entidades do setor, a última assembleia geral de 2023 do Sindicato das Indústrias Madeireiras do Norte do Estado de Mato Grosso (Sindusmad) foi marcada por discussões importantes e a apresentação de metas para o próximo ano. Com ações voltadas para a sustentabilidade, segurança dos trabalhadores e fortalecimento do setor, o ano de 2024 promete grandes avanços e oportunidades para o setor de base florestal.

A reunião contou com a presença de servidores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA), da Federação das Indústrias de Mato Grosso (FIEMT) e do presidente do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (CIPEM), Ednei Blasius e do diretor executivo do CIPEM Valdinei Bento dos Santos.

O presidente do Sindusmad Felipe Antoniolli avaliou a assembleia geral, primeira da sua gestão, com a participação expressiva de mais de 70 empresários do setor. “Assembleia importantíssima com vários assuntos tratados e contou com a presença dos servidores da Sema, que nos mostraram de maneira concreta todos os procedimentos de análise dos processos que estão para serem vistoriados e explicaram sobre a instabilidade e oscilações do sistema Sisflora 2.0. Quero agradecer em nome do presidente da federação, Silvio Rangel a presença dos servidores do SESI e do SENAI que estão nos contemplando com o projeto pioneiro Base Segura. Meu agradecimento ao presidente do Cipem, Ednei Blasius que veio mostrar as ações que o Cipem está fazendo. A realização desta reunião é fundamental para levar a todos os empresários associados às ações que o Sindusmad, juntamente com o Cipem vem realizando no estado de Mato Grosso”, afirmou. 

Quanto às metas para 2024, Felipe Antoniolli reforçou a gestão participativa. “Em 2023 tivemos um ano bastante complicado com recessão no mercado. Para 2024, a meta será fomentar a gestão participativa, visitar os associados in loco para ver as particularidades de cada região e continuar com os cursos de capacitação”, destacou.

A secretária adjunta de Licenciamento Ambiental e Recursos Hídricos, Lilian Ferreira, reforçou a parceria que o órgão tem com o setor e o compromisso em buscar soluções para os desafios enfrentados pelas indústrias madeireiras. “Nós entendemos a importância que o setor de base tem para o estado de Mato Grosso, bem como, a importância do manejo florestal sustentável, não só na produção, mas pela confiabilidade que a madeira produzida no Mato Grosso representa. Com a contratação de 28 servidores, nossa expectativa é melhorar nossos prazos de análise para podermos dar uma resposta célere para o empreendedor se programar para suas atividades”, afirmou.

Para a superintendente de gestão florestal, Tatiana Paula Marques de Arruda, nesses encontros é possível entender as demandas do setor, a fim de buscar mais resolutividade na operação do Sistema Sisflora 2.0. “Essas assembleias são fundamentais e extremamente produtivas. E por meio desse contato mais direto com o setor produtivo, é possível avançar tanto a parte interna quanto a parte externa. Como o Sisflora 2.0 é novo, precisamos ter conhecimento das ocorrências, e precisamos também da compreensão de todos os setores porque ainda estamos em fase de implantação e estabilização. Todas as informações que foram repassadas vamos analisar pontualmente cada uma e o que será possível fazer, vamos corrigir”, garantiu.

Durante a apresentação das ações realizadas pelo CIPEM, o presidente Ednei Blasius explicou que em parceria com a Sedec e a FIEMT foi possível conseguir recursos para duas importantes ações. “Um para reestruturar a questão dos herbários que é muito importante, pois é um catálogo das espécies de madeira existente no Estado do Mato Grosso e para o evento importantíssimo que já vem ocorrendo há vários anos que é o Dia Da Floresta. A próxima edição terá uma roupagem um pouco diferente, pois iremos demonstrar desde a exploração sustentável com toda rastreabilidade que nós temos e a fase da industrialização, madeira serrada bruta e a fase final de produtos como o deck e entre outros produtos”, anunciou.

O presidente do CIPEM encerrou sua fala com uma mensagem de união para reestruturar o mercado e dar mais visibilidade aos empresários e aos produtos do Estado de Mato Grosso. “Trabalhar em bloco, trabalhar em união, em grupo é no sentido de criarmos mais força para o setor de base Florestal do Estado de Mato Grosso, ou seja, temos maior representatividade tanto em números de empresas quanto em produção e volume de matéria-prima. Um grande comprador de madeira, quando procura fechar um contrato anual, às vezes, uma indústria sozinha não consegue atender a demanda, mas se trabalharmos as indústrias num bloco, estaremos muito mais fortes, teremos maior visibilidade ao nível no mercado internacional. Precisamos nos fortalecer e criarmos mecanismos para fazer com que esses clientes compradores e o mercado nos enxerguem e nos dê o real valor que o nosso setor tem. As nossas indústrias têm produto de qualidade com rastreabilidade, a nossa madeira é sustentável, é ecologicamente correta e o setor de base florestal do Mato Grosso está preparado para exportar madeira para qualquer país do mundo”, garantiu.

O empresário industrial Anderson Fernando Grandini, que faz parte do quadro de associados do sindicato desde 2021, enfatizou a importância de fazer parte do maior sindicato da indústria madeireira. “É a primeira vez que participo de uma assembleia, e pelo diálogo de todos foi falado sobre as dificuldades deste ano, mas para 2024 as propostas são boas, será um ano produtivo, principalmente pelo investimento na exportação. A participação das entidades reguladoras do meio ambiente na reunião nos dá encorajamento para trabalhar. O Sindusmad e o Cipem estão de parabéns. Não tem como um madeireiro ficar fora do Sindusmad. Todos que possuem empresa madeireira devem se sindicalizar porque vale muito a pena”, ressaltou.

Quanto ao projeto Base Segura, que está sendo desenvolvido em parceria com o CIPEM e o Serviço Social da Indústria (Sesi), durante a assembleia foi reforçado a importância desta ação que visa aumentar a proteção e segurança dos trabalhadores do setor de base florestal, mediante atendimentos, assessorias, consultorias, palestras, treinamentos e avaliação de riscos nas indústrias de base florestal de Mato Grosso.

Também foi apresentado perante a assembleia o número de ações e reuniões que o sindicato realizou no decorrer do ano de 2023, ao total foram 618 ações, assim evidenciando o engajamento e o trabalho realizado em prol dos associados ao Sindusmad.  Também foi colocado a conhecimento de todos que o Sindusmad entra em período de férias coletiva contando a partir do dia 26 de dezembro de 2023, retornando as atividades normais no dia 08 de janeiro de 2024.

Após a reunião de assembleia foi realizado almoço de confraternização entre os associados e seus familiares, na qual teve sorteio de prêmios de diversos brindes fornecidos por empresas parceiras do setor de base florestal.